Processionária do Pinheiro



Processionária do Pinheiro

Sintomas e Sinais

Copas com ninhos brancos constituídos por fios sedosos (aspecto de algodão doce). Ninhos de Outono relativamente discretos e de dimensão reduzida, aumentado durante o Inverno. Os ninhos tornam-se acastanhados e, a acumulação de excrementos aumenta o seu peso, chegando mesmo a vergar os ramos em que se encontram. Lagartas com pêlos brancos e longos na imediação dos ninhos. Lagartas em fila indiana (procissão), ao longo dos troncos das árvores atacadas ou no solo, em busca de locais para enterramento (fins de Fevereiro a Maio).


Biologia e Comportamento

Insecto desfolhador que se encontra em actividade durante o período do Inverno. Consome as agulhas, deixando a bainha intacta. Os sintomas são visíveis a partir de Outubro, tendo maior expressão no final do Inverno, época em que as larvas se alimentam com maior intensidade. Ataca todos os pinheiros, e esporadicamente outras resinosas, podendo ser encontrada em povoamentos de todas as idades, com maior incidência em pinhais jovens (até aos 25 anos).

A intensidade e frequência dos ataques depende essencialmente das condições de clima, quer de forma directa na mortalidade dos estados imaturos mais recentes (ovos e lagartas mais jovens), quer no efeito que exerce sobre os seus inimigos naturais (predadores e parasitóides). Árvores isoladas, bordaduras de povoamentos, povoamentos abertos de uma só espécie, são factores de risco. Os ataques da processionária para além de causarem reduções no crescimento das plantas por redução da copa, podem ter um efeito mais gravoso ao nível do vigor das árvores, aumentando o risco de ocorrência de ataques por insectos subcorticais (principalmente se os ataques da processionária ocorrem durante anos sucessivos). As lagartas têm comportamento gregário, alimentando-se nas imediações do ninho, durante os períodos mais frios do dia. Mudam de árvore, em caso de queda ou de desfolha total. 

Como todos os insectos, o desenvolvimento do insecto passa por diversas fases:
Ovo, lagarta, crisálida (casulo) e borboleta (insecto adulto).
As lagartas passam por vários estágios de desenvolvimento. É a partir do 3 estágio, desde meados de Fevereiro a fins de Maio,  que os seus pêlos urticantes produzem as alergias cutâneas, oculares e respiratórias. 
A partir do 5 estágio de desenvolvimento, as lagartas abandonam os ninhos, descem o tronco do pinheiro e dirigem-se em procissão, daí a designação processionária, para o solo onde se enterram para passar à fase seguinte de crisálida e evoluir finalmente para a fase de insecto adulto, que emerge no verão.


Perigos

A Processionária do Pinheiro é um insecto que ataca esta árvore enfraquecendo-a e provocando-lhe mesmo a morte. Tem igualmente um efeito nocivo não só nos humanos, causando-lhes irritações na pele, nos olhos e no aparelho respiratório, mas também nos cães, quando movidos pela curiosidade aproximam o focinho e abocanham as lagartas. O efeito tóxico produz-lhes de imediato um grande inchaço e dificuldade respiratória. O cão com estes sintomas deve ser levado de imediato ao veterinário, pois uma demora de algumas horas pode causar-lhe danos irreversíveis que se repercutem no apodrecimento do tecido que constitui a língua, obrigando ao corte das zonas infectadas. Em casos mais graves não é invulgar o corte total da língua.

Clique aqui para solicitar um orçamento grátis.