Mosquitos



Mosquitos

Alimentação

São insectos de ciclo de metamorfose completo.
O macho e a fêmea alimentam-se no final do dia. O macho alimenta-se exclusivamente de seivas, que bombeia das árvores e das flores graças ao seu estilete. Só a fêmea é que se alimenta de sangue, o dos animais de sangue quente que lhe é necessário para pôr ovos dado que é rico em proteínas, no entanto, tem o mesmo regime alimentar de base que o macho. Ela dispõe de potentes orgãos sensoriais capazes de detectarem os odores corporais, o gás carbónico, o calor e a transpiração de modo a localizarem os seus hospedeiros. O mosquito serve-se das partes bucais para cortar a pele e aspirar o sangue. Em cada sucção, a fêmea aspira o próprio peso em sangue depois de injectar na ferida um anticoagulante que preserva a fluidez. É nestas condições que o mosquito é o vector de diversas patologias (malária ou paludismo, febre amarela, encefalite).

Habitat

Encontramo-los, em geral, em locais calmos, húmidos e sem correntes de ar. Cada espécie apresenta um local de predilecção para viver e habitar.

Biologia

O mosquito acasala nas 48 horas que se seguem à eclosão da crisálida. A fêmea põe ovos apenas uma vez, armazenando o esperma num saco interno (saco espermático) e, de seguida, ela própria fertiliza os ovos. A fêmea adulta vive algumas semanas e põe centenas de ovos em águas estagnadas. No espaço de alguns dias, os ovos separam-se e geram larvas submergidas, ligadas à superfície da água por meio de um sifão respiratório. Elas alimentam-se de microrganismos, algas e plantas.

A larva do mosquito passa por 4 mudas antes de originar uma crisálida que se mantém à superfície da água, sem se alimentar mas capaz de conquistar um local tranquilo, nadando por puxões quando é incomodada.
A esperança de vida do adulto é de algumas semanas. O comprimento total do ciclo depende fortemente da temperatura e tem a duração de 10 dias a 6 meses ou até mesmo mais no caso das espécies cujos ovos ou larvas podem hibernar durante a estação fria.
O adulto vive na natureza e entra no habitat, por vezes no final do Outono, para hibernar, sendo que na maior parte dos casos, a fêmea pica os humanos ao crepúsculo ou nas primeiras horas da manhã.

Perigos

Apenas algumas espécies podem ser vectores de germes, sendo que as mais perigosas são as que utilizam o homem como hospedeiro primário e entram nas casas em busca de sangue. 300 milhões de pessoas no mundo inteiro são contaminadas pela malária e mais de 2 milhões morrem todos os anos. Estes valores fazem do mosquito o animal mais perigoso do mundo.
Destaca-se o facto de que é a fêmea do género Anopheles a responsável pela contaminação.
Este mosquito só pica na escuridão ou quartos escuros e o seu zumbido, ao contrário do que se possa pensar, produz apenas um leve sussurro, a picada não é dolorosa nem pruriginosa.

Clique aqui para solicitar um orçamento grátis.